Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo alerta para prevenção ao câncer de pele

Doença é a de maior incidência no Brasil, com mais de 175 mil casos por ano, segundo o Inca
02/12/2021 13:22 | Informativo | Gerson Nichollas

Compartilhar:

Imagem ilustrativa (fonte: Freepik)<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-12-2021/fg279496.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Na Semana Estadual de Prevenção ao Câncer de Pele, que começou nests quarta-feira (1º/12) e vai até o próximo dia 8 de dezembro, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo tem o objetivo de alertar sobre a alta incidência de casos da doença no Brasil.

Segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer), mais de 175 mil pessoas são diagnosticadas com câncer de pele por ano. No Estado de São Paulo, a incidência de câncer de pele melanoma - que tem origem nas células produtoras de melanina - é maior em homens do que em mulheres. A proporção aponta para 6,78 casos para cada 100 mil habitantes na população masculina e de 4,08 na feminina.

Nos últimos anos, a Alesp tem adotado medidas para mobilizar a sociedade e os poderes públicos com a finalidade de organizar ações de combate à doença. Prova disso foi a aprovação da Lei 10.775/2001, que criou a Semana Estadual de Prevenção do Câncer de Pele, comemorada nos primeiros dias de dezembro.

De acordo com a lei, o Poder Executivo deve promover uma ampla campanha publicitária para alertar a população paulista sobre os males da exposição inadequada ao sol, orientações sobre as formas de proteção e sobre a necessidade de realizar exames preventivos.

O Projeto de Lei 1155/2019, do deputado Coronel Nishikawa (PSL), está em tramitação na Assembleia Legislativa paulista e também se relaciona ao tema. Ele torna obrigatório o fornecimento de protetor solar para pessoas que fazem ou concluíram o tratamento de câncer de pele no Estado.

Tipos de câncer de pele

Existem dois grandes tipos de câncer de pele: os carcinomas (basocelular e espinocelular) e o melanoma. O carcinoma basocelular dificilmente se espalha para outras partes do corpo, sendo mais comum entre os homens, afetando raramente pessoas de tom de pele mais escuro. O carcinoma espinocelular afeta pessoas independentemente do tom de pele e também é mais frequente nos homens.

Já o melanoma é mais frequente em adultos brancos. Nas pessoas de pele negra, por exemplo, pode afetar áreas claras do corpo, como as palmas das mãos e plantas dos pés.

Umas das principais recomendações é evitar a exposição excessiva à radiação solar, que é formada pelos raios UVB e UVA, no horário de maior incidência dos raios solares, entre 10h e 16h.

O uso de protetor solar diariamente também é fundamental, principalmente porque a radiação ultravioleta, que varia pouco ao longo do dia e é intensa mesmo em dias nublados, penetra profundamente na pele.

Pessoas com tatuagens também devem redobrar a atenção, visto que o câncer de pele melanoma pode ter as manifestações iniciais encobertas por conta da tinta escura.