Casos de cardiopatia congênita emocionam membros da Comissão de Saúde

A deputada Telma de Souza (PT), presidente da Comissão de Saúde, disse que a Saúde está trazendo preocupações e muito problemas, a começar pela greve que já dura 42 dias e isso é muito grave para os funcionários, para a população e para o Estado.
12/06/2013 12:02

Compartilhar:

 


Na véspera de se comemorar o Dia da Conscientização da Cardiopatia Congênita, celebrado em 12/6, a Comissão de Saúde, presidida por Telma de Souza (PT), se emocionou com o vídeo exibido pela ONG Pequenos Corações explicando o que é, como e quais as expectativas dos recém-nascidos cardiopatas. Pelo que se tem conhecimento, somente no mês de maio, três bebês faleceram em decorrência da doença. Lucas, Rafaela e Maria Clara tinham um dos 40 tipos de cardiopatia congênita, uma doença que tem incidência oito vezes maior que a Síndrome de Down. Para mudar esse quadro, a Assembleia legislativa aprovou, em 4/6, o Projeto de Lei 1.080/2011, de Jorge Caruso (PMDB), que obriga todas as maternidades do Estado, públicas ou privadas, a fazer o Teste do Coraçãozinho (exame de oximetria de pulso) em todos os recém-nascidos após as primeiras 24 horas de vida e antes da alta hospitalar.

Telma de Souza falou também sobre a greve dos trabalhadores da saúde que permanecem em greve. Há 42 dias em greve, os servidores não receberam contraproposta do governo para a reivindicação de reposição salarial de 32,2%. A Comissão de Saúde realizará, em 27/6, às 9h, no auditório Franco Montoro, audiência conjunta com a Comissão de Direitos Humanos para tratar da falta de médicos no Estado. Devem participar representantes de todas as esferas de governo.

Voltar