Sistema prisional é discutido em encontro com servidores


18/12/2018 10:55 | Audiência pública | Da redação

Compartilhar:

Carlos Giannazi (3º à esq.)<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-12-2018/fg228987.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Uma audiência pública com o tema Conhecendo o Sistema Prisional foi realizada na última sexta-feira (14/12), no auditório Paulo Kobayashi da Alesp, por iniciativa do deputado Carlos Giannazi (PSOL).

A morte do agente penitenciário Alexandro Rodrigues Galvão, esfaqueado em 1º/12 no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus, foi considerada um alerta pelo presidente do Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo (Sifuspesp), Fábio Jabá. A mesma unidade, há dois anos, foi palco do maior massacre já ocorrido nos presídios do Amazonas, com 56 mortes.

O agente penitenciário Jenis de Andrade criticou o déficit de servidores para trabalhar nos presídios paulistas e lembrou que há candidatos aprovados nos dois concursos iniciados em 2013 para os cargos de agente de escolta e vigilância penitenciária (AEVP) e agente de segurança penitenciária feminino. Esses candidatos estão buscando apoio para que suas nomeações aconteçam a tempo, já que os cargos estão vagos.

Giannazi lamentou o fato de o orçamento estadual para 2019 ter sido aprovado com "valores irrisórios" para o sistema prisional, para a Fundação Casa e para as áreas sociais. "O orçamento não incorporou as emendas apresentadas pela população, pelos deputados e pelos sindicatos. Ele canaliza os recursos das áreas sociais para empresas privadas por meio da desoneração fiscal, reduzindo o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de grandes grupos econômicos, como a Volkswagen, a Ambev, as grandes mineradoras e os grandes frigoríficos."