Estado de São Paulo Transparência ALESP
 Envie      Impressão
03/02/2017 16:43

Frente Parlamentar em prol do Transporte Metroferroviário aprova regimento e grupos de trabalho

A adoção de política estadual de transportes sustentáveis, como ferrovia e hidrovia, foi destaque na reunião.

Download
Reunião da Frente realizada neta quinta-feira,2/2/17

Sob a coordenação do deputado João Caramez (PSDB), a Frente Parlamentar em Prol do Transporte Metroferroviário (FTRAM), em reunião realizada nesta quinta-feira, 2/2, discutiu temas prioritários de atuação, constituiu grupos de trabalho e aprovou seu regimento interno. A frente foi criada em 21/9 e conta com a participação de representantes de diversas entidades do setor, que apresentaram suas demandas e perspectivas de trabalho.

Entre as tarefas a serem desenvolvidas pela frente, destacou-se a defesa da adoção de uma política de transporte para o Estado de São Paulo que priorize transportes sustentáveis, como a ferrovia e a hidrovia.

Assunto que mereceu a atenção dos participantes da reunião foi a prorrogação antecipada de contratos de ferrovias prevista na Medida Provisória 752/2016, do governo federal. Entre as atuais concessões de ferrovias que poderiam se enquadrar na prorrogação dos contratos e ganhar mais 30 anos de operação está a da malha paulista da Rumo, empresa que se fundiu com a América Latina Logística (ALL) e cujo atual compromisso vence em 2028. Para Caramez, caberá à frente produzir propostas que garantam os interesses de São Paulo na questão da prorrogação das concessões, assim como é necessário garantir o protagonismo do Estado nas políticas de transporte e escoamento de produção. Essa necessidade foi defendida por Jean Pejo, da Asociación Latinoamericana de Ferrocarriles (Alaf) no Brasil, para quem por falta desse protagonismo, temos em São Paulo apenas uma ferrovia de passagem, por onde são transportados produtos vindos de outros estados.Críticas severas à prorrogação dos contratos também foram proferidas pelo representante da organização não-governamental Frente Nacional pela Volta das Ferrovias (FerroFrente), José Manoel Ferreira Gonçalves. O também fundador do Movimento Tarifa Justa, que se coloca na defesa dos usuários do sistema de transporte público de trens, ônibus e metrô, afirmou que as concessões não podem continuar alimentando caixas partidários, tampouco beneficiando empresas concessionárias. Segundo ele, "São Paulo cresceu sobre trilhos, mas tudo isso foi jogado fora". Contribuíram com a discussão das diretrizes que regerão o trabalho da frente representantes da International Association of Public Transport (UITP). A Associação Nacional de Transportes Públicos representado por Elcio Pasqualucci. Emiliano Stanislau Affonso Neto, da UITP Presente à reunião, o deputado Marco Vinholi (PSDB) acrescentou que é preciso incorporar os municípios e seus interesses no debate sobre o transporte ferroviário no Estado.

Além da política estadual de transporte que incorpora o modo ferroviário, pelo regimento aprovado, a frente deverá identificar os gargalos que contribuem para a morosidade dos processos licitatórios e a paralisação de obras, de forma a promover maior eficiência e segurança jurídica.



João Caramez,preside os trabalhos da Frente Parlamentar