Estado de São Paulo Transparência ALESP

Ramalho da Construção

Antonio de Sousa Ramalho, o Ramalho da Construção, nasceu na Paraíba, em 10 de maio de 1949, no município de Conceição do Piancó. De família humilde da lavoura, começou a trabalhar na roça aos oito anos de idade. Mudou-se para São Paulo em 1968. Nos tempos duros da ditadura, iniciou sua vida na construção civil como servente, na empresa Hidrasan - Engenharia Civil e Sanitária Ltda. Enquanto trabalhava, o paraibano fazia cursos de aperfeiçoamento. Em julho de 1990, ingressou no meio sindical como 2º Suplente da Diretoria do Sintracon - SP. Em 1994, ele comandou a maior greve da história do setor. Foram 16 dias de paralisações, com vitória concedida pelo TRT (Tribunal Regional do Trabalho) 2ª Região de São Paulo, que concedeu 5% de aumento de salário, pagamento dos dias parados e estabilidade de 90 dias para os grevistas. Trabalhou nas negociações para renovação da NR 18 (Norma Regulamentadora). Nesse mesmo período se tornou Vice-Presidente da Força Sindical. Em 1998, com o apoio do corpo associativo e da diretoria, foi lançada a chapa encabeçada por Ramalho para disputar as eleições no Sindicato. Eleita, a chapa começou uma autêntica revolução do Sintracon - SP. Criador do sindicalismo cidadão, Ramalho busca avanços significativos para as comunidades que integram a Capital paulista, facilitando acesso às autoridades na busca de melhoramentos sociais como água, esgoto, creches, escolas, canalização de córregos, segurança e saúde. Nas eleições para deputado estadual, ocorridas no ano de 2006, Ramalho foi candidato e obteve 32.996 votos, ficando como 3º suplente. Em 2010, Ramalho participou novamente da eleição e obteve 62.387 votos. Ficou com a segunda suplência do PSDB. Porém, como alguns deputados foram eleitos prefeitos no ano passado e tomaram posse no dia 1º de janeiro, Ramalho assumiu, no dia 3 de janeiro de 2013 o cargo efetivo de deputado estadual. Apesar de tantas lutas e vitórias, Ramalho confessa que a maior de todas foi contra o câncer nos períodos de 2007 a 2009. Hoje, 100% curado, ele continua empenhando esforços para melhor distribuição de renda, emprego com carteira assinada, moradia digna, transporte, educação, segurança, saúde e lazer.